Banner

Araraquara deve receber mais 1.500 casas populares

Atenção, abrir em uma nova janela. PDFImprimirE-mail

O Prefeito Marcelo Barbieri e os deputados Dimas Ramalho e Roberto Massafera reuniram-se com o Secretário de Estado de Habitação, que deve liberar novas moradias de zero a três salários mínimos

O prefeito Marcelo Barbieri, juntamente com os deputados Dimas Ramalho (federal) e Roberto Massafera (estadual), reuniu-se com o secretário de Estado da Habitação, Silvio Torres, que deve incluir Araraquara no projeto de construção de casas populares do Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal.

O prefeito e os deputados levaram o pedido para a construção de 1.500 moradias, que serão encaminhadas ao Programa Federal por meio do Governo do Estado de São Paulo. As casas são voltadas para famílias com renda de zero a três salários mínimos, inscritas no cadastro da Secretaria Municipal de Habitação.

“Araraquara já possui as áreas e a Prefeitura, por meio da Secretaria de Habitação, vai fazer o apontamento desses lotes, que ficam na região do Adalberto Roxo. Também já temos projetos para a construção de creche e posto de saúde para essa região. Com isso, vamos fazer um projeto habitacional exemplar”, afirmou o prefeito Marcelo, agradecendo ao secretário Silvio Torres e aos deputados Dimas e Massafera.

Para o deputado Dimas Ramalho, “essa é uma grande conquista para Araraquara. A Prefeitura já dispõe das áreas e vamos trabalhar para agilizar a liberação dessas casas, que vêm atender uma importante parcela da população”.

Segundo Roberto Massafera, o secretário Silvio Torres foi muito sensível ao pedido de Araraquara e garantiu a liberação das unidades até o ano que vem. “É uma conquista da Prefeitura com o apoio dos deputados”, salientou.

De acordo com o prefeito, as moradias devem ser construídas em três etapas e o terreno terá no mínimo 200m2. Marcelo também destacou que a seleção das famílias será feita com critérios rigorosos, priorizando pessoas com deficiência, idosos, mulheres arrimo de família, moradores de assentamentos precários e famílias em condições de vulnerabilidade social, de acordo com a lei aprovada pela Câmara Municipal.

As famílias devem estar inscritas no cadastro da Secretaria Municipal de Habitação e no Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal da Secretaria de Assistência Social.

Ainda segundo Marcelo, a Prefeitura aguarda a liberação da Caixa Econômica Federal, de mais 1.000 moradias que já foram protocoladas. A Prefeitura também dará entrada em outras 1.000 unidades habitacionais e está elaborando o projeto para mais 394 casas. Todas são voltadas para famílias com renda entre zero e três salários mínimos

Comentários  

 
+4 #1 mari ferreira 23-04-2013 14:52
tentei fazer a inscriçaõ ano passado, mais me pareceu q eles, os funcionários, q são pagos para nos atender, fazem de tudo pra dificultar, deu a impressão q temos q chegar até lá com aparência de mendigo, pobre coitado, nos humilhando pra pelo menos, no minimo, deixarnos fazer a ficha de inscrição,digo isso pq me encaixo no perfil de quem tem prioridade em se inscrever, sou nascida em araraquara, e aqui moro até hoje,sou viúva,ganho 2 salários, tenho duas filhas, uma é menor, e uma neta, e todas são minhas dependentes, e mesmo assim nem me deixaram fz a inscrição, eai to achando q o negócio ñ é tão honesto assim
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Radar

RadarMóvel.com.br - Fique de olho!

Tempo

Plantão G1