Banner

Ambulatório especializado atende gestantes de alto risco em Araraquara

Atenção, abrir em uma nova janela. PDFImprimirE-mail

O Ambulatório de Gestação de Alto Risco, implantado em novembro de 2010 pela Prefeitura por meio da Secretaria de Saúde de Araraquara, presta atendimento às gestantes que sofrem com doenças como hipertensão, diabetes gestacional e toxoplasmose entre outras. Este serviço está integrado ao Ambulatório de Saúde da Mulher.

 

O coordenador do Programa Saúde da Mulher de Araraquara, o médico Welington Lombardi, ressalta que as gestantes recebem atendimento de uma equipe multidisciplinar que conta com médicos, enfermeiras, psicóloga, assistente social e fisioterapeuta, além disso, as pacientes realizam todos os exames e recebem acompanhamento durante toda a gestação. “Este serviço foi uma grande conquista para todas as gestantes da nossa cidade”, comenta Lombardi.

Prêmio

O Ambulatório de Gestação de Alto Risco “é fruto de muito trabalho e apoio da Secretaria Municipal de Saúde e o resultado já está sendo mostrado na prática”, ressalta o coordenador.

O médico se refere à conquista do primeiro lugar com o trabalho Gestação de Alto Risco: Sinônimo de doença hipertensiva? apresentado na XII Jornada de Obstetrícia e Ginecologia da SOGESP Regional de São José do Rio Preto, realizada entre os dias 16 e 18 de junho. “Ser premiado é muito gratificante, pois mostra que estamos no caminho certo e realizando um trabalho de qualidade e com respaldo científico”.

Desenvolvido por alunos do curso de Medicina da Uniara, sob a orientação do coordenador do Ambulatório, que também é professor da instituição, e da médica Luciana Lombardi, o trabalho relatou o serviço prestado pelo Ambulatório de Gestação de Alto Risco mostrando as principais patologias obstétricas que atingem as grávidas.

Hipertensão

Das 123 pacientes com gravidez de alto risco cadastradas durante o período do estudo, ficou comprovada grande ocorrência de três importantes doenças. Foram 43 casos de doença hipertensiva específica da gravidez (DHEG), 27 casos de diabetes gestacional e oito casos de toxoplasmose. Outras patologias também foram registradas, porém, com menor freqüência.

Segundo Lombardi, a hipertensão induzida pela gravidez é considerada a doença que mais provoca efeitos nocivos no organismo materno, fetal e neonatal. “A hipertensão é responsável por taxas elevadas de morbidade e mortalidade materna e perinatal, constituindo-se em um dos principais problemas de saúde pública em todo o mundo”, revela o coordenador.

Diante dos números constatados, o médico reforça que, apesar do pouco tempo de funcionamento do Ambulatório de Gestação de Alto Risco, o trabalho cresce de maneira consistente e forte, consolidando o atendimento que toda equipe está desenvolvendo na assistência às gestantes. “O Programa de Atenção à Saúde da Mulher que o município oferece em relação ao Pré-Natal, dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), é digno de destaque e competência”, finaliza Welington.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Radar

RadarMóvel.com.br - Fique de olho!

Tempo

Plantão G1